Cartas do Brasil ao Milionésimo – Numeração

O Brasil foi dividido em quarenta e seis folhas ao milionésimo sendo cinco delas no hemisfério Norte.
Cada folha pode ser indicada pelo nome ou por uma indicação formada por letras e números :

  • Formato das folhas com 6 graus de LONGITUDE por 4 graus de LATITUDE ;
  • Código para denominação das folhas formado por letras e números ; 
  • Letras N ou S para indicar hemisfério Norte ou Sul ;
  • Letras maiúsculas de A até V para indicar a faixa de quadrículas por LATITUDE ;
  • Números que vão de 1 a 60 indicam zonas de LONGITUDE de 6 graus que partem do meridiano de 180 graus na direção Oeste-Leste ;
  • Moldura interna contendo sub-divisão com equidistância de 5 minutos ;
  • Paralelos e meridianos traçados de grau em grau ;
  • A contar do ângulo noroeste para Leste são inseridos números romanos de 1 a 12, dentro de um círculo com espaçamento de 30 minutos ;
  • Na direção da LATITUDE  são inseridas letras de “a” a “h” ;

Fonte : Adaptado do livro Fundamentos de Cartografia – Paulo Araújo Duarte – 2002 , páginas 125 a 127.

Cartas do Brasil ao Milionésimo – Numeração

O Brasil foi dividido em quarenta e seis folhas ao milionésimo sendo cinco delas no hemisfério Norte.
Cada folha pode ser indicada pelo nome ou por uma indicação formada por letras e números :

  • Formato das folhas com 6 graus de LONGITUDE por 4 graus de LATITUDE ;
  • Código para denominação das folhas formado por letras e números ; 
  • Letras N ou S para indicar hemisfério Norte ou Sul ;
  • Letras maiúsculas de A até V para indicar a faixa de quadrículas por LATITUDE ;
  • Números que vão de 1 a 60 indicam zonas de LONGITUDE de 6 graus que partem do meridiano de 180 graus na direção Oeste-Leste ;
  • Moldura interna contendo sub-divisão com equidistância de 5 minutos ;
  • Paralelos e meridianos traçados de grau em grau ;
  • A contar do ângulo noroeste para Leste são inseridos números romanos de 1 a 12, dentro de um círculo com espaçamento de 30 minutos ;
  • Na direção da LATITUDE  são inseridas letras de “a” a “h” ;

Fonte : Adaptado do livro Fundamentos de Cartografia – Paulo Araújo Duarte – 2002 , páginas 125 a 127.

 
Para maiores informações e orçamento de digitalização :

 

Ligue:
  (31) 3291-9600
Minas Gerais
  (11) 3301-5484
São Paulo
  (21) 3002-0272
Rio de Janeiro

Cartas do Brasil ao Milionésimo – Convenções

A carta do Brasil ao milionésimo faz parte de um plano mundial que teve origem em convenção internacional na Inglaterra em 1909.
Foram estabelecidos padrões técnicos para a confecção de cartas na escala de 1:1.000.000 – um por um milhão – daí o nome e expressão ” ao milionésimo ” .
   
As dimensões das folhas foram fixadas em 6 graus de longitude e 4 graus de latitude.
 

Quanto a denominação e localização das folhas foi estabelecido :
  • código combinando letras e números ( N ou S para indicar norte ou sul ) ;
  • letras de A até V para indicar os fusos que partem do antimeridiano de Greenwich na direção oeste-leste ;
  • Projeção cartográfica Policônica com a modificação do traçado dos meridianos para retas afim de que a junção das folhas adjacentrs fosse facilitada ;
  • Esta projeção teve problemas e hoje é utilizada a de Lambert.
  
Veja o esquema da Zona 23 :
  
  • Limitada pelos meridianos de 42 a 48 graus Oeste ;
  • Meridiano Central é o de 45 graus ;
  • Dividida em faixas de 4 graus de LATITUDE que são identificados pela letras A, B, C, etc ;
  
A folha de referência SF-23 tem o seguinte significado :
  • S = Hemisfério Sul ;
  • F = faixa entre 20 e 24 graus de LATITUDE ;
  • 23 =  número da zona que fica entre 42 e 48 graus de LONGITUDE Oeste.
  
Fonte : Adaptado do livro Fundamentos de Cartografia – Paulo Araújo Duarte – 2002 , páginas 125 a 127.

Cartas do Brasil ao Milionésimo – Convenções

A carta do Brasil ao milionésimo faz parte de um plano mundial que teve origem em convenção internacional na Inglaterra em 1909.
Foram estabelecidos padrões técnicos para a confecção de cartas na escala de 1:1.000.000 – um por um milhão – daí o nome e expressão ” ao milionésimo ” .
   
As dimensões das folhas foram fixadas em 6 graus de longitude e 4 graus de latitude.
 

Quanto a denominação e localização das folhas foi estabelecido :
  • código combinando letras e números ( N ou S para indicar norte ou sul ) ;
  • letras de A até V para indicar os fusos que partem do antimeridiano de Greenwich na direção oeste-leste ;
  • Projeção cartográfica Policônica com a modificação do traçado dos meridianos para retas afim de que a junção das folhas adjacentrs fosse facilitada ;
  • Esta projeção teve problemas e hoje é utilizada a de Lambert.
  
Veja o esquema da Zona 23 :
  
  • Limitada pelos meridianos de 42 a 48 graus Oeste ;
  • Meridiano Central é o de 45 graus ;
  • Dividida em faixas de 4 graus de LATITUDE que são identificados pela letras A, B, C, etc ;
  
A folha de referência SF-23 tem o seguinte significado :
  • S = Hemisfério Sul ;
  • F = faixa entre 20 e 24 graus de LATITUDE ;
  • 23 =  número da zona que fica entre 42 e 48 graus de LONGITUDE Oeste.
  
Fonte : Adaptado do livro Fundamentos de Cartografia – Paulo Araújo Duarte – 2002 , páginas 125 a 127.

 
Para maiores informações e orçamento de digitalização :

 

Ligue:
  (31) 3291-9600
Minas Gerais
  (11) 3301-5484
São Paulo
  (21) 3002-0272
Rio de Janeiro